Homenagem a Gil Martins Felippe (1934-2014)

Gil Martins Felippe (1934-2014)

Foi com grande pesar que a comunidade científica – particularmente os botânicos – e o público em geral – especialmente aquele interessado em botânica – receberam a notícia do falecimento do professor Gil Felippe no dia 18 de Agosto passado, vítima de pneumonia, em São Paulo. Graduado em História Natural pela USP (1960), estagiou no Instituto de Botânica de São Paulo (IBt) sob orientação do Dr. Luiz Gouvea Labouriau, onde iniciou suas pesquisas em fisiologia vegetal. Já como biologista do IBt, partiu para a Universidade de Edinburgo (Escócia) como bolsista do British Council, concluindo o PhD em 1967, sob orientação do Prof. Dr. John Dale. Após atuar como professor colaborador na Universidade de Edinburgo, de 1969 a 1974, assumiu o cargo de professor titular na UNICAMP, junto ao então departamento de Fisiologia Vegetal, trazendo para o Brasil toda sua experiência em hormônios vegetais, principalmente as giberelinas, das quais o foi o introdutor das pesquisas em nosso país. O professor Gil permaneceu na UNICAMP até 1991, período onde tive a oportunidade de trabalhar com ele, primeiramente como estudante de IC, e depois no mestrado e doutorado. Dotado de intelecto brilhante e de vasta formação cultural que incluía – além da botânica – a arqueologia, a arte dramática, a literatura e a culinária, entre muitas outras, o professor Gil Felippe (ou simplesmente Gil, como seus alunos os chamavam) ajudou a criar toda uma geração de fisiólogos vegetais no Brasil, que disseminaram cada vez mais os estudos em fisiologia do desenvolvimento de plantas. Tendo deixado a universidade, Gil deu vazão à sua verve literária, publicando diversos livros que mostram as plantas sob os mais variados ângulos: comestíveis; afrodisíacas; medicinais; venenosas; etc. Foi a forma que ele encontrou de continuar homenageando talvez sua maior paixão, a Botânica, onde pela primeira vez uniu seus desejos de viajar e desenhar, como ele próprio diz em seu depoimento ao Prof. Massanori Takaki, que pode ser encontrado neste link.

 

Victor José Mendes Cardoso

Depto. de Botânica, IB, UNESP, Rio Claro